Para educadores

A leitura da Coleção das Crianças Daqui proporciona identificação direta com crianças da educação infantil e do ensino fundamental I. Para auxiliar o pós-leitura no ambiente escolar, preparamos algumas sugestões de atividades inspiradas nas oito histórias da coleção, abordando temas e relações com os parâmetros curriculares nacionais.

Acreditamos que as experiências com a literatura são diversas e dinâmicas, e por isso, o que vem a seguir são propostas que podem ser enriquecidas, substituídas ou criadas a partir de sua vivência em sala de aula e nos espaços de convívio com as crianças.

 

TEMAS

Para toda a coleção uma iniciativa inspiradora pode ser discutir/conversar/trocar experiências sobre alguns temas abordados nas histórias como:
• Situações de descobertas
• Passagens de infância para a adolescência e vida adulta
• Mudanças de rotina
• Exclusão
• Fidelidade/cumplicidade
• Processos de formação do ser
• As falas brasileiras e o vocabulário regional
• Diversidade cultural

BRINCADEIRAS

Representar brincadeiras feitas pelas crianças em cada uma das histórias e ainda, trazer à tona as brincadeiras preferidas das crianças com quem você está.

• Utilizar-se de objetos do entorno para criar as brincadeiras, como nas histórias de Roberta Asse.

• Listar com as crianças durante uma aula as várias brincadeiras que aparecem na coleção pode ser um bom jogo provocado pela leitura. Isso pode fazer sentido especialmente no processo inicial de alfabetização, pois ‘listar’ é uma atividade importante nessa etapa da aprendizagem.

Pé de uva, mão de menino:
– jogar um jogo inventado
– andar em carrinho de rolimã
– inventar coisas na cozinha
– colher frutas



O caso do tuiuiú:
– brincar com gravetos e folhas
– construir uma casinha
– brincar de casinha
– fazer comidinha de mentira
– confeccionar bonecas de barro
– desenhar

Sementes de cuidado e capim dourado:
– brincar de escolinha
– construir uma cidade
– fazer bicho de capim trançado
– colecionar coisas, como sementes, por exemplo
– nadar
– brincar no balanço

Conversa de viola e memória:
– correr atrás de pássaros e brinquedos que voam
– jogar futebol
– brincar de filmagem
– dar susto
– imaginar monstros em um monte de folhas secas
– Imaginar formas em nuvens no céu

Conto de desencontro:
– empinar pipa
– lançar objetos ao longe
– fazer barquinhos de folhas verdes
– olhar peixes ou outros animais para aprender com eles
– aprender palavras de outras línguas e brincar de ser outras pessoas


Travessia de Marina Menina:
– pintar barquinhos ou pedaços de madeira
– catar conchas
– brincar com o pé na água
– esconder coisas
– pintar as unhas
– brincar de roda

Escrita secreta de montanha e giz:
– fazer comidinha
– desenhar na borracha da sola do sapato
– observar o vento
– ouvir histórias
– ir a uma festa junina
– escrever um bilhete

Pedro Pio na margem do rio:
– contar história inventada
– colher frutas
– esculpir em caule ou madeira
– organizar campeonato de algum jogo
– fazer fantasia com folha
– pintar o corpo
– sujar-se de barro

MÚSICA

Alguns dos livros trazem referências de músicas tradicionais, tais como cirandas e brincadeiras de roda, que podem ser trazidas à sala de aula dentro do contexto das histórias e situações em que aparecem para os personagens.

OUTROS ELEMENTOS DE CULTURA

O artesanato regional faz parte das histórias em alguns livros e aparecem nas ilustrações fotografados. Eles revelam características importantes da cultura que podem ser abordados e aprofundados: o miriti e os brinquedos coloridos como as casas ribeirinhas da região amazônica; o capim dourado e o trançado de origem indígena, a colheita feita na vereda e a herança quilombola. Outro importante elemento de cultura que pode ser trabalhado com as crianças de maneira divertida é a fala brasileira. Nos diálogos dos personagens, a autora respeitou as expressões de oralidade e regionalismos, procurando reproduzir com fidelidade a maneira de falar de cada região. Leituras com sotaque ou lembranças de experiências com a fala e a língua podem inspirar conversas sobre a formação do povo brasileiro e sobre diversidade cultural.

A INTERDISCIPLINARIDADE COM A GEOGRAFIA

A interdisciplinaridade com a Geografia é um dos aspectos possíveis de ser abordado com os leitores do ensino fundamental a partir da:
• Utilização do mapa que aparece ao final do livro, explorando as características do espaço geográfico, espécies de animais e vegetais de cada localidade apresentada na história, assim como clima e hidrografia; A representação destes espaços geográficos pode ser auxiliada com o uso das ilustrações, que utilizam colagens de fotos das regiões às quais fazem referência. Por exemplo: a planície, a terra cor de laranja e as árvores baixas do cerrado do Jalapão; o rio grande, movimentado e cercado de floresta da região amazônica; o rio plano, espelhado e raso do Pantanal, com raízes expostas na época da vazante; a montanha alta e cheia de cachoeiras da Serra da Mantiqueira no sul de Minas Gerais.

 

Clique aqui para fazer o download deste texto em pdf

Querido(a) professor(a), as ideias apresentadas aqui são possíveis desdobramentos que vão para além da história lida, são experiências e discussões que a leitura pode despertar. Ainda assim, cada livro lido deve fluir dentro do leitor com seu próprio ritmo e encanto. Se você tiver comentários ou relatos a respeito da utilização deste material, ficaremos muito felizes em conhecer. Escreva para o email roberta@criadeira.com.br